sexta-feira, 7 de abril de 2017

Qual será pior?


A três semanas das eleições francesas, o jogo está longe de  se poder considerar decidido e os cenários possíveis deixam muito a desejar.
Jean-Luc Mélenchon, Benoit Hamon, Emmanuel Macron, François Fillon e Marine Le Pen têm, nas sondagens – que, como se sabe, são cada vez menos fiáveis - percentagens que não se diferenciam muito e que só se irão destacar, na final, por transferência do chamado voto útil.
A conclusão possível parece, assim, saltar à vista, com  qualquer destes candidatos a poder passar à segunda volta. O que eventualmente significará que a França irá escolher... um péssimo presidente e que essa escolha afectará, também, a Europa!


HSC

5 comentários:

maria silvestre disse...

Respondendo ao último parágrafo:

De certeza...

Silenciosamente ouvindo... disse...

Diz-se que os russos estão a apoiar a
Maria Lepen, será?

Ficar pior do que está será difícil...

Vamos esperar para ver, mas é o que há...
outro tipo de pessoas "parece" não acham
importantes este cargo.

Os meus cumprimentos.
Irene Alves

Jorge Lynce disse...

O único responsável é François Hollande e o PS francês, um péssimo Presidente, que arrastou França para um beco sem saída!

Pedro Coimbra disse...

Apetece-me comentar que todos menos a terrível Le Pen.
Isso sim seria assustador.
Boa semana

. disse...

Quando as escolhas estão limitadas ao que se vê (não só por lá, mas por todo o mundo) o que faz alguém que quer uma alternativa melhor, que quer escolher o melhor dos melhores e não o menos mau possível?

O que fazer, em democracia, quando qualquer uma das hipóteses limitadas é (muito) má?

Mas, mais importante ainda, porque é que as hipóteses são más e com tendência a piorar cada vez mais por todo o lado?